• Morada

    Rua do Centro Social, 58
    4709-007 Ruílhe
    Braga, Portugal

  • Contactos

    Contactos
    T: 253 951 132
    T: 253 951 175

  •    
Qualificação das Equipas

Qualificação das Equipas

Durante o mês de fevereiro, as equipas técnica e educativa desta Casa de Acolhimento tiveram a oportunidade de participar num curso de formação sobre Cocriação de Bem-estar. Esta formação foi desenvolvida pela Professora Zélia Anastácio, docente do Instituto da Educação, da Universidade do Minho. A formação envolveu outras Casas de Acolhimento de Braga com o objetivo de permitir uma experiência de partilha de práticas específicas entre os diversos participantes. Uma formação apoiada pela aplicação dos princípios da aprendizagem orientada pela ação – action learning.

Estas sessões de formação permitiram-nos estabelecer novos entendimentos sobre a obtenção de conhecimento e desenvolvimento de novas práticas. Possibilitou a troca de experiências profissionais entre equipas e entre equipas das Casas de Acolhimento, sob um olhar académico. A Professora Zélia tornou-se, assim, um facilitador na abordagem prática de situações reais entre as várias equipas, bem como promoveu a reflexão e aprendizagem relevante e orientada pela prática.

Na base desta formação esteve o construtivismo social, facilitador do processo de descoberta e de exploração sobre as diferentes perspetivas e perceções da nossa prática, conduzindo-nos ao desenvolvimento de soluções conducentes à promoção de bem-estar do nosso público-alvo.

O objetivo destas sessões de trabalho foi tornar os profissionais capazes de criar, implementar e avaliar processos de cocriação com as crianças e jovens. Assim, ao longo da formação, foram facultados métodos e instrumentos com os quais podemos trabalhar na prática com as crianças e jovens. Por exemplo, a construção de um cubo para identificar perspetivas das crianças/jovens quanto a um problema identificado, a partir do qual surgem soluções “fora da caixa”.

Como ensinou a Professora Zélia, um profissional dos setores do bem-estar que tem contacto direto com pessoas deve ser um profissional motivado para se desafiar em novos conhecimentos e metodologias. Assim, o profissional deve:

– Mudar de uma postura de especialista para um facilitador do processo

– Ser humilde e curioso

– Acolher os pensamentos “fora da caixa”

  cocriação5 cocriação-555x280

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este Website usa cookies para poder oferecer toda a melhor experiência online. Ao usar este Website concorda com o uso de cookies.